Como os implantes se tornaram mais acessíveis nos dias de hoje

Embora tenham se tornado mais populares, os implantes dentários levaram mais de 50 anos para se tornarem acessíveis. O primeiro implante dentário foi realizado em 1965 em caráter experimental na Suécia, mas só chegou ao mercado comercial em 1981 com o surgimento da primeira empresa especializada em implantes dentários, que ainda tem grande expressão na indústria, colecionando mais de 7 milhões de implantes realizados.

No Brasil, o método também se tornou bastante conhecido. Segundo dados do Conselho Federal de Odontologia (CFO), cerca de 800 mil implantes e 2,4 milhões de componentes de próteses são vendidos por ano, demostrando o bom desempenho da indústria nacional. Aliado a esse desempenho, o CFO também aponta bom crescimento do volume de dentistas especializados em implantes. De 2004 a 2008 o número de dentistas especializados em implantes dentários cresceu 260%, com tendência de continuar subindo.

Com o crescimento de profissionais especializados aliado a um bom crescimento da indústria nacional, os implantes dentários começam a se tornar mais acessíveis aos brasileiros. Além do barateamento dos componentes, outro fator muito importante vem ganhando força no mercado. O parcelamento se tornou grande aliado de quem sonha em voltar a ter o sorriso perfeito. Muitas clínicas vêm apostando no modelo para aumentar o volume de procedimentos realizados. Se você souber escolher bem o lugar onde realizar o tratamento, pode conseguir boas condições de pagamento. Pesquise antes!

Atitudes que podem baratear seu implante

Além das favoráveis condições do mercado, quem estiver pensando em fazer um implante dentário precisa ficar atento a alguns comportamentos que podem encarecer o tratamento. A primeira questão importante é realizar o implante na sequência da extração do dente. Se houve a necessidade de remoção do dente, o quanto antes ele for reposto por um implante, menor será a quantidade de osso perdida. Sim, toda vez que a raiz do dente é extraída, o corpo reage e começa a perder osso na região, dificultando a colocação do implante dentário. Se deixar para realizar o procedimento tardiamente, haverá a necessidade de enxerto ósseo, encarecendo o tratamento ou até impossibilitando a colocação do implante.

postimplantes2

Outra dica muito importante que torna o tratamento mais assertivo e acessível é parar de fumar. O vício no cigarro é extremamente prejudicial para quem sonha em ter dentes perfeitos porque prejudica a cicatrização. Esse fator compromete o resultado do tratamento e aumenta as chances de insucesso no tratamento, havendo necessidade de recolocação. Dependendo do caso, pode impossibilitar a realização do implante.

Mas não só os fumantes podem prejudicar o sucesso do implante, hipertensos e diabéticos descompensados também são potenciais pacientes de insucesso de implante. No caso dessas duas doenças crônicas, os profissionais são orientados a não realizar o procedimento.

Está com a saúde em dia? Confira então mais algumas recomendações.

Não esqueça, escolha com cuidado o seu dentista

Mesmo com o crescimento do número de especialistas em implantes, é importante escolher com cuidado o profissional que vai realizar o tratamento. Antes de se iniciar o tratamento, o dentista deve solicitar um profundo estudo do caso específico do paciente, com exames da cavidade bucal (exame clínico, radiografias, modelos articulados, tomografias) e de saúde geral (exames laboratoriais quando necessário).

Por tudo isso, desconfie de orçamentos muito baixos, é importante visitar os locais escolhidos, ouvir mais de um diagnóstico e comparar os valores para avaliar o melhor custo benefício. Quase nunca aquele valor de pechincha realiza o tratamento mais seguro para sua saúde. Fique de olho!

Gostou desse artigo? Escreva para nós.